Bio

Napoleão Mira nasceu em Entradas, Castro Verde, em 1956. Vive no Algarve, no concelho de Lagoa, desde 1983.

Fundou e dirigiu, entre 1998 e 2000, a revista «O Trigueirão».
Colaborou nos jornais «O Campo», «Diário do Alentejo», «Correio Alentejo» e na revista «30 Dias».

Na música, criou “Pratica(mente)” e “Slides — Retratos da Cidade Branca” para o aclamado disco «Pratica(mente)» de Sam The Kid, seu filho.
Participou com o tema “Subúrbio” no disco «Eu e os Meus» de Dino & The Soulmotion. Integrou o projecto Hip Hop Pessoa por altura do 120º aniversário do nascimento de Fernando Pessoa, recriando e dizendo “Tabacaria”.
Em parceria com Sam The Kid, criou e interpretou, para o primeiro «Festival Silêncio!», o espetáculo «Palavras Nossas».

Em 2010 lançou o livro «Ao Sul», uma compilação das suas melhores crónicas.

Recentemente participou nos trabalhos discográficos da reconhecida banda Orelha Negra e no esperado CD de Sir Scratch editado em 2012.

Em 2012 editou o seu primeiro romance intitulado FADO, obra que atingiu uma notoriedade assinalável junto do público.

Em 2014 editou o livro de crónicas, estórias e textos intitulado: De Coração D’Interiores.

Está neste momento a trabalhar em dois novos livros. Um de viagens para além de um novo romance com lançamento previsto para 2016.

Em 2015 criou com o colectivo Reflect a performance de spoken word: 12 Canções Faladas e 1 Poema Desesperado, estando previsto o lançamento do CD deste trabalho na primavera de 2016.

Em 2015 participou nos trabalhos discográficos do colectivo Reflect chamado: Gata, e ainda, na mixtape de Grilocks intitulada: Carisma.